Por ser professor de pós-graduação em uma empresa com atuação nacional, com certa frequência estou em algum aeroporto. Geralmente, entre a ...

Leveza e mobilidade

ambiente de leitura carlos romero cronica conto poesia narrativa pauta cultural literatura paraibana carlos rolim mobilidade superacao otimismo evolucao esperanca animo
Por ser professor de pós-graduação em uma empresa com atuação nacional, com certa frequência estou em algum aeroporto. Geralmente, entre a sexta-feira e o domingo. Isso me faz passar longos períodos por aquelas salas de espera, aguardando o vôo.

Nestas esperas, fico observando o vai-e-vem das pessoas: aos grupos, sozinhas, com pressa, com crianças, enfim, cada uma de sua forma. Contudo, chama-me atenção dois diferentes tipos de pessoas: os idosos e os cadeirantes: eles não ficam presos às suas limitações, mesmo que, para isso, precisem da ajuda de alguém. Simplesmente vão! Não se rendem às dificuldades e encontram alguma forma de atingir seus objetivos. Tais exemplos, podemos trazer para nossas vidas.

Não nos curvarmos diante dos obstáculos que a vida nos traz, deve ser nossa atitude. O fardo, muitas vezes, é pesado, mas não se deve deixar que o amargor e o desânimo tomem conta de nós.

Assim, da mesma forma que existem pessoas que buscam a mobilidade física, também se deve buscar a mobilidade emocional! A leveza é que traz felicidade, e este deve ser o nosso o objetivo: alcançá-la, mesmo encontrando pedras no caminho. Em nosso DNA, está a resiliência.

Encontrar pessoas prostradas pelos becos da vida, sem saber lidar com seus sofrimentos e limitações, que deixaram de sonhar, entregues à apatia, não é raro ou incomum. Ficar chorando as dores do passado só vai trazer peso à nossa alma. É necessário quebrar os grilhões que nos acorrentam a sentimentos dolorosos, armazenados no coração. Limpar a mente de pensamentos tóxicos, nocivos, que inundam o coração, que nos fazem enxergar os problemas com lente de aumento e embaçam o olhar para o horizonte, é uma forma de conquistar mobilidade. Retirar todo este “peso” extra, trará leveza para a vida, dará condições de passos mais largos, com sonhos bem traçados, sem âncoras a nos prender, para, finalmente, encontrar novos portos.

* Em homenagem a Carlos Romero


DEIXE O SEU COMENTÁRIO
SUA PARTICIPAÇÃO É IMPORTANTE. COMENTE!

leia também