Mostrando postagens com marcador José Nunes. Mostrar todas as postagens

Quando se completaram três anos da leitura de Os Miseráveis, de Victor Hugo, uma silenciosa leitura recomendada pelo mestre Milton Mar...

victor hugo miseraveis bispo charles myriel
Quando se completaram três anos da leitura de Os Miseráveis, de Victor Hugo, uma silenciosa leitura recomendada pelo mestre Milton Marques Júnior, estudioso do conjunto da obra deste autor francês, retorno agora para apreciar este monumental livro cheio de lições para nosso cotidiano.

Manhã de domingo, Praça Maciel Pinheiro, Boa Vista. Recife acordava calmo nas redondezas da pracinha. Neste lugar, quando criança,...

clarice lispector casa recife
Manhã de domingo, Praça Maciel Pinheiro, Boa Vista. Recife acordava calmo nas redondezas da pracinha. Neste lugar, quando criança, a escritora Clarice Lispector morava na casa da esquina. Era um tempo em que as ruas carregavam metáforas nos seus nomes.

Alagoa Nova, 10 de junho de 1923. Nesta data nascia Carlos Augusto Romero , que se tornou um homem de bem. Grandioso nas suas...

carlos romero literatura cronica paraibana
Alagoa Nova, 10 de junho de 1923. Nesta data nascia Carlos Augusto Romero, que se tornou um homem de bem. Grandioso nas suas atitudes. Um de nossos grandes cronistas do cotidiano. Humanista, deixou lições que ajudam a construir espaços de convivência no exercício do amor.

No dia 23 de maio de 1994, Dom José Maria Pires apresentou à Santa Sé a Carta solicitando sua renúncia, tornando-se Bispo Emérito, q...

No dia 23 de maio de 1994, Dom José Maria Pires apresentou à Santa Sé a Carta solicitando sua renúncia, tornando-se Bispo Emérito, quase trinta anos depois de ter chegado para o pastoreio do povo na Paraíba. Ele chegou ao solo paraibano no dia 26 de março de 1966, iniciando uma profícua e inesquecível caminhada, com olhar para as periferias humanas e para os rincões onde o pobre era explorado. A todos estendia a mão, levando a Palavra salvadora.

O livro Vidas Secas, de Graciliano Ramos, contém passagens semelhantes às que encontramos em Êxodo. Como o povo do Egito partiu ...

graciliano ramos religiao
O livro Vidas Secas, de Graciliano Ramos, contém passagens semelhantes às que encontramos em Êxodo. Como o povo do Egito partiu pelo deserto em busca de vida nova, no Sertão do Nordeste assolado pela seca, em estio prolongado, uma família estonteada pela fome busca terra onde possa encontrar água e pão, conta o narrador de Graciliano.

Quando o poeta voltou seu olhar para a mãe que se encontrava distante, ele iniciou a composição da canção que nunca concluiu. Recorda...

mae amor materno lembrancas
Quando o poeta voltou seu olhar para a mãe que se encontrava distante, ele iniciou a composição da canção que nunca concluiu. Recordando as canções de ninar que escutava quando menino, no aconchego do colo, silenciosamente tentou compor o poema que se perdeu na imensidão das metáforas e do sonho. Mas não desistiu, persistiu na composição poética que dedicaria para ela, mas jamais terminou o trabalho porque nunca se conclui a canção a ser dedicada às mães.

A vida pastoral de Dom José Maria Pires, na Paraíba, foi de constante conversão. Dom José dizia que tudo o que vivenciou na Paraíba aj...

dom jose maria pires
A vida pastoral de Dom José Maria Pires, na Paraíba, foi de constante conversão. Dom José dizia que tudo o que vivenciou na Paraíba ajudou na sua conversão. Revelou que o Nordeste o fez se tornar uma pessoa mais simples.

O poeta e acadêmico Luiz Nunes Alves , durante a festa do aniversário quando completou 90 anos, ocorrido no dia 16 de abril, espalh...

sertao agua branca cordel poesia paraibana
O poeta e acadêmico Luiz Nunes Alves, durante a festa do aniversário quando completou 90 anos, ocorrido no dia 16 de abril, espalhou luzes. Reunião familiar que contou com a participação de amigos. Teve lançamento de livros, sendo um de poemas de sua autoria e outro que registra fatos de sua trajetória de vida, desde a infância em Água Branca, aos estudos na Capital, aborda a atividade de professor e poeta, até a ascensão aos mais relevantes cargos públicos, culminando como conselheiro do Tribunal de Contas do Estado.

O presente ano enseja a oportunidade de a Paraíba reverenciar Augusto dos Anjos nos 140 anos do seu nascimento. É hora de voltar,...

O presente ano enseja a oportunidade de a Paraíba reverenciar Augusto dos Anjos nos 140 anos do seu nascimento. É hora de voltar, ainda mais, nossos corações para esse poeta que trouxe visibilidade à poesia da Paraíba.

A mística e a poesia andam juntas, pois vêm da mesma fonte, que é Deus. O poeta é chamado a estabelecer um diálogo com Deus para salvar...

eudesia vieira virgem maria
A mística e a poesia andam juntas, pois vêm da mesma fonte, que é Deus. O poeta é chamado a estabelecer um diálogo com Deus para salvar a carne e a eternidade da alma. A fé é um grande remédio para aliviar a dor quando não há mais esperança.

Há escritor que esconde suas preferências, mas assinala referências, exibe seu gosto pela arte e até expõe suas manias, ao co...

cronica paraibana martinho moreira franco
Há escritor que esconde suas preferências, mas assinala referências, exibe seu gosto pela arte e até expõe suas manias, ao contrário do poeta que ao apontar os caminhos da alma, usa metáforas para falar de seus amores e paixões.

Meu caro Milton Marques , Mestre e Confrade. Saudações. Esta missiva é para transmitir notícias do tamarindo que você plantou no ...

augusto dos anjos tamarindo apl

Meu caro Milton Marques, Mestre e Confrade. Saudações.

Esta missiva é para transmitir notícias do tamarindo que você plantou no Jardim de Academus da Casa de Coriolano de Medeiros, por ocasião de sua posse como acadêmico.

Quando no ano de 1970, minha mãe, meus irmãos e eu saímos de Serraria pelas circunstâncias que um dia haverei de narrar, a casa e as i...

serraria paraiba recordacao nostalgia
Quando no ano de 1970, minha mãe, meus irmãos e eu saímos de Serraria pelas circunstâncias que um dia haverei de narrar, a casa e as imagens daquela época continuram comigo. Muitas vezes retornei a Taquio de passagem, olhando pela lente do coração e pelo recanto do olho, sem coragem de entrar nas salas, nos quartos e na cozinha da casa que foram nossa, porque preferia que estes lugares continuassem como os guardei na memória.

Desço pela rua principal de Serraria procurando, nas paredes das casas e nos rostos das pessoas, os resquício...

serraria memorias nostalgia
Desço pela rua principal de Serraria procurando, nas paredes das casas e nos rostos das pessoas, os resquícios de minha infância. Nos olhares, redescubro detalhes antigos, sempre revelados a cada retorno.

Quando leio poema de Ariano Suassuna sobre seu pai, o ex-presidente da Paraíba João Suassuna, morto em outubro de 1930, meu pensame...

joao suassuna paraiba ariano
Quando leio poema de Ariano Suassuna sobre seu pai, o ex-presidente da Paraíba João Suassuna, morto em outubro de 1930, meu pensamento se volta para este homem que soube representar o Sertão, porque, detentor de fartura cultural e sinceridade no trato com as pessoas, pautou sua vida pelo bem servir, a começar pelos caboclos da brenhas inóspitas.

Em tempo pratrasmente vivido, Gonzaga Rodrigues , Antônio David e eu fizemos itinerário sentimental no encontro das águas do Rio Gram...

praia gramame recordacoes gonzaga rodrigues
Em tempo pratrasmente vivido, Gonzaga Rodrigues, Antônio David e eu fizemos itinerário sentimental no encontro das águas do Rio Gramame com o mar e os seus arredores. Éramos três diante do silêncio, a contemplar “o mar universal e a saudade”, como assinala Fernando Pessoa. Enquanto olhávamos o tapete de luz sobre o mar, o Sol era coruscante e convidativo ao banho.

Em poema antológico, o monge beneditino Marcos Barbosa, da Academia Brasileira de Letras, fala do amor do homem e da mulher quando f...

amor casamento bodas
Em poema antológico, o monge beneditino Marcos Barbosa, da Academia Brasileira de Letras, fala do amor do homem e da mulher quando formam um casal, reproduzem a espécie humana como dom supremo de Deus e enfrenta com serenidade todas as barreiras que se lhe impõe.

Uma data que não esqueço. No dia 5 de fevereiro de 1975, publiquei minha primeira crônica no jornal O Norte. Um texto curto. Falava ...

jornalismo paraibano jose nunes serraria paraiba
Uma data que não esqueço. No dia 5 de fevereiro de 1975, publiquei minha primeira crônica no jornal O Norte. Um texto curto. Falava de uma viagem à Serraria, onde amanheci depois de quatro anos de ausência. Um texto telúrico, recheado de saudades.

Depois de uma temporada de aprendizagem na incubadora do jornal O Norte , cheguei à redação de A União para, efetivamente, iniciar a...

agnaldo almeida por do sol literario gratidao
Depois de uma temporada de aprendizagem na incubadora do jornal O Norte, cheguei à redação de A União para, efetivamente, iniciar as atividades de repórter e desse jornal jamais me afastar.

Cheguei à Serra da Raiz e Duas Estradas com atraso de muitas décadas, recompensado em percurso pelo caminho que os livros de Horác...

serra copaoba raiz paraiba
Cheguei à Serra da Raiz e Duas Estradas com atraso de muitas décadas, recompensado em percurso pelo caminho que os livros de Horácio de Almeida, Maximiano Lopes Machado e Irineu Pinto apontaram.