Mostrando postagens com marcador José Nunes. Mostrar todas as postagens

Há escritor que esconde suas preferências, mas assinala referências, exibe seu gosto pela arte e até expõe suas manias, ao co...

cronica paraibana martinho moreira franco
Há escritor que esconde suas preferências, mas assinala referências, exibe seu gosto pela arte e até expõe suas manias, ao contrário do poeta que ao apontar os caminhos da alma, usa metáforas para falar de seus amores e paixões.

Meu caro Milton Marques , Mestre e Confrade. Saudações. Esta missiva é para transmitir notícias do tamarindo que você plantou no ...

augusto dos anjos tamarindo apl

Meu caro Milton Marques, Mestre e Confrade. Saudações.

Esta missiva é para transmitir notícias do tamarindo que você plantou no Jardim de Academus da Casa de Coriolano de Medeiros, por ocasião de sua posse como acadêmico.

Quando no ano de 1970, minha mãe, meus irmãos e eu saímos de Serraria pelas circunstâncias que um dia haverei de narrar, a casa e as i...

serraria paraiba recordacao nostalgia
Quando no ano de 1970, minha mãe, meus irmãos e eu saímos de Serraria pelas circunstâncias que um dia haverei de narrar, a casa e as imagens daquela época continuram comigo. Muitas vezes retornei a Taquio de passagem, olhando pela lente do coração e pelo recanto do olho, sem coragem de entrar nas salas, nos quartos e na cozinha da casa que foram nossa, porque preferia que estes lugares continuassem como os guardei na memória.

Desço pela rua principal de Serraria procurando, nas paredes das casas e nos rostos das pessoas, os resquício...

serraria memorias nostalgia
Desço pela rua principal de Serraria procurando, nas paredes das casas e nos rostos das pessoas, os resquícios de minha infância. Nos olhares, redescubro detalhes antigos, sempre revelados a cada retorno.

Quando leio poema de Ariano Suassuna sobre seu pai, o ex-presidente da Paraíba João Suassuna, morto em outubro de 1930, meu pensame...

joao suassuna paraiba ariano
Quando leio poema de Ariano Suassuna sobre seu pai, o ex-presidente da Paraíba João Suassuna, morto em outubro de 1930, meu pensamento se volta para este homem que soube representar o Sertão, porque, detentor de fartura cultural e sinceridade no trato com as pessoas, pautou sua vida pelo bem servir, a começar pelos caboclos da brenhas inóspitas.

Em tempo pratrasmente vivido, Gonzaga Rodrigues , Antônio David e eu fizemos itinerário sentimental no encontro das águas do Rio Gram...

praia gramame recordacoes gonzaga rodrigues
Em tempo pratrasmente vivido, Gonzaga Rodrigues, Antônio David e eu fizemos itinerário sentimental no encontro das águas do Rio Gramame com o mar e os seus arredores. Éramos três diante do silêncio, a contemplar “o mar universal e a saudade”, como assinala Fernando Pessoa. Enquanto olhávamos o tapete de luz sobre o mar, o Sol era coruscante e convidativo ao banho.

Em poema antológico, o monge beneditino Marcos Barbosa, da Academia Brasileira de Letras, fala do amor do homem e da mulher quando f...

amor casamento bodas
Em poema antológico, o monge beneditino Marcos Barbosa, da Academia Brasileira de Letras, fala do amor do homem e da mulher quando formam um casal, reproduzem a espécie humana como dom supremo de Deus e enfrenta com serenidade todas as barreiras que se lhe impõe.

Uma data que não esqueço. No dia 5 de fevereiro de 1975, publiquei minha primeira crônica no jornal O Norte. Um texto curto. Falava ...

jornalismo paraibano jose nunes serraria paraiba
Uma data que não esqueço. No dia 5 de fevereiro de 1975, publiquei minha primeira crônica no jornal O Norte. Um texto curto. Falava de uma viagem à Serraria, onde amanheci depois de quatro anos de ausência. Um texto telúrico, recheado de saudades.

Depois de uma temporada de aprendizagem na incubadora do jornal O Norte , cheguei à redação de A União para, efetivamente, iniciar a...

agnaldo almeida por do sol literario gratidao
Depois de uma temporada de aprendizagem na incubadora do jornal O Norte, cheguei à redação de A União para, efetivamente, iniciar as atividades de repórter e desse jornal jamais me afastar.

Cheguei à Serra da Raiz e Duas Estradas com atraso de muitas décadas, recompensado em percurso pelo caminho que os livros de Horác...

serra copaoba raiz paraiba
Cheguei à Serra da Raiz e Duas Estradas com atraso de muitas décadas, recompensado em percurso pelo caminho que os livros de Horácio de Almeida, Maximiano Lopes Machado e Irineu Pinto apontaram.

Sempre quando chegávamos ao local do trabalho, antes de qualquer atividade, íamos até a árvore onde o beija-flor preparou seu n...

Sempre quando chegávamos ao local do trabalho, antes de qualquer atividade, íamos até a árvore onde o beija-flor preparou seu ninho, botou dois ovos, chocou-os e criou seus filhotes, até voar para a liberdade.

A cada livro que Solha publica, repetimos “olé”, imitando o público em êxtase diante do drible do toureiro na arena. ...

solha literatura paraibana
A cada livro que Solha publica, repetimos “olé”, imitando o público em êxtase diante do drible do toureiro na arena.

Me aproximei dele quando frequentávamos o terraço de Nathanael Alves, em Tambauzinho, em bocas da noite povoadas de estrelas das artes e do saber. Eu escutava a conversa dos dois, mas não ofereceria meu pitaco sobre assuntos de literatura. Sempre fui do time da escuta. Escutava, refletia e meditava sobre o que conversavam.

O conselho de Nathanael Alves era de que devemos fazer a leitura do livro, para depois retornar ao prefácio, ao texto de apre...

joao trindade literatura paraibana violao
O conselho de Nathanael Alves era de que devemos fazer a leitura do livro, para depois retornar ao prefácio, ao texto de apresentação. Assim procedo, há mais de quatro décadas, seguindo, à risca, essa recomendação.

Está longe e faz muito tempo. Lembro quando foi o Natal que conheci, o primeiro e o último vivido em Serraria, depois de muit...

frutas natal reminiscencias
Está longe e faz muito tempo. Lembro quando foi o Natal que conheci, o primeiro e o último vivido em Serraria, depois de muitos tentar recordar as oportunidades reveladas a cada badalar o sino à meia noite.

Antes de viajar para Portugal, onde permanecerá em temporada de observação da paisagem cultural e poética da qual falam escritores e ...

augusto anjos tamarindo apl
Antes de viajar para Portugal, onde permanecerá em temporada de observação da paisagem cultural e poética da qual falam escritores e poetas lusitanos, acertamos com o professor Milton Marques Júnior que, durante sua ausência, eu seria o guardião do pequeno tamarindo de Augustos dos Anjos, que floresce no Jardim de nossa Academia.

No caminho para o Sertão, já nas proximidades do limite da Paraíba com o Rio Grande do Norte, nos deparamos com um bonito lugar, fasc...

jerico paraiba historia
No caminho para o Sertão, já nas proximidades do limite da Paraíba com o Rio Grande do Norte, nos deparamos com um bonito lugar, fascinante e acolhedor.

Na cidade de Jericó, homônima da antiga Jericó bíblica, me deu vontade de ficar ali por mais tempo, esperar manhãs para colher o sol ao surgir por detrás de colinas, e no entardecer, recolher paisagens como mensagens espirituais.

Neste 06 de dezembro de 2023 lembramos com saudade dos 15 anos do adeus ao poeta, cronista, jornalista, romancista, professor e adv...

luiz augusto crispim literatura paraibana
Neste 06 de dezembro de 2023 lembramos com saudade dos 15 anos do adeus ao poeta, cronista, jornalista, romancista, professor e advogado Luiz Augusto Crispim que naquele sábado nublado da Primavera, foi embora para viver na Órbita que sempre sonhou, sem se despedir de nós.

Retorno à leitura de A Nudez de Laura , de Ana Paula Cavalcanti, interrompida há dez anos, quando o romance foi lançado. Me peniten...

literatura paraibana ana paula cavalcanti
Retorno à leitura de A Nudez de Laura, de Ana Paula Cavalcanti, interrompida há dez anos, quando o romance foi lançado. Me penitencio porque passei tanto tempo sem penetrar nas entranhas dessa obra, que é recheado de episódios protagonizados por pessoas que se revelam portadoras de alma apaixonada.

Os caminhos do Sertão me desviavam para a Praça do Centenário, em Pombal. Logo ao chegar à calçada da Igreja do Rosário, sob a so...

pombal paraiba igreja
Os caminhos do Sertão me desviavam para a Praça do Centenário, em Pombal. Logo ao chegar à calçada da Igreja do Rosário, sob a sombra de suas grossas paredes, decidi entrar no templo religioso, acometido de emoção.

Os caminhos para o Sertão me levaram à Taperoá, onde o zeloso Dorgival Terceiro Neto nasceu, amou e defendeu. Observei v...

taperoa cariri paraiba dorgival terceiro neto
Os caminhos para o Sertão me levaram à Taperoá, onde o zeloso Dorgival Terceiro Neto nasceu, amou e defendeu. Observei vaqueiros e santos guerreiros usando indumentária característica da região a percorrer caatingas, como descritas por Ariano Suassuna, outro sertanejo de estirpe em extinção.

Toda região atingida pelo estio, com o chuvisco, as raízes brotam, ramas verdes cobrem a terra seca, o homem cava a solo, o perfume espalhado atrai pássaros, e logo os olhares estão sobre todos recantos.