Talvez no tempo O tempo ache Onde escorreu A cor Por onde foi O que desbotou E coloriu Talvez o tempo Ao seu tempo Ex...

Onde o tempo escondeu a cor

poesia paraibana aurelio cassiano
 
 
 
Talvez no tempo O tempo ache Onde escorreu A cor Por onde foi O que desbotou E coloriu Talvez o tempo Ao seu tempo Explique por que É necessária a dor Por que doeu O que deixou pra traz Quando passou O tempo Que não nasceu E que não morre Não cabe num talvez... Porque Senhor É o tempo A vez

As cores não são Sem olhos E a brisa lufa A eternidade Eu sempre centro Dias sem sol E o alvor Das noites no céu De estrelas Caminhos pro infinito O sorriso doce de Baco Uma chaminé Acesa e fumegante Avisa que homens Dominaram a terra... De mim Um soluço De dor Ou cachaça

A vida é só esperança, o resto, é o que a gente gasta esperando... Nesse meio, há gametas, dores e janelas, feitas para abrir ou pular. Tudo depende de quem está conosco Ou deu uma saidinha Na hora errada. De resto É festa Dor Ou enterro No final Tudo é um show De quem precisa provar Que está vivo.

COMENTE, VIA FACEBOOK
COMENTE, VIA GOOGLE

leia também