"Existe um ser com dois pés sobre a terra, também com quatro pés, de si uma voz, quanto com três pés. Sozinho modifica a natureza tant...

O enigma da esfinge

ambiente de leitura carlos romero alcione albertim édipo enigma esfinge ingres complexo de edipo oedipus

"Existe um ser com dois pés sobre a terra, também com quatro pés, de si uma voz, quanto com três pés. Sozinho modifica a natureza tanto dos que rastejam sobre a terra, quanto dos que surgem acima no éter e abaixo no mar. Mas quando anda apoiando-se em vários pés, então, a sua força torna-se mais fraca para os seus membros.(Tradução nossa)"

ambiente de leitura carlos romero alcione albertim édipo enigma esfinge ingres complexo de edipo oedipus
O enigma está posto! Até ali, ninguém conseguira decifrá-lo, sendo todos devorados pela Esfinge ao tentar fazê-lo. Então, conduzido por um destino há muito determinado pela maldição que atravessa a sua família, Édipo chega a Tebas, retornando às suas origens. Inquirido pelo monstro, ele soluciona o enigma, entretanto, apenas parcialmente.

A cegueira, que é própria do herói trágico, obsta que Édipo compreenda-o por completo. Ele não enxerga que esse ser que a Esfinge descreve é ele próprio. Tal cegueira está no cerne das ações do herói ao longo da fabulação de Sófocles.

Podendo ser analisada em dois níveis, a peça mostra dois reconhecimentos. No primeiro, vem-se a saber que ele é o miasma que polui a cidade e não o seu salvador. No segundo, aquele de fato trágico, ele compartilha o leito conjugal com a sua própria mãe, logo, ele é a maldição.

Pode-se pensar, tomando-se a Psicanálise como instrumento de análise, que o oráculo proferido pela sacerdotisa de Apolo, determinante para a sua saída de Corinto e chegada a Tebas, diz respeito à pulsão do desejo inconsciente, Eros, que é direcionado àqueles com quem primeiramente na vida nos relacionamos, fundamentais para a nossa constituição como sujeitos, a mãe, ou sua substituta, e o pai, ou seu substituto.

ambiente de leitura carlos romero alcione albertim édipo enigma esfinge ingres complexo de edipo oedipus

Édipo, premido pelo oráculo, tenta fugir da inexorabilidade do seu destino, mas tragicamente cumpre-o, e ao cumpri-lo, alcança a satisfação do desejo inconsciente, cuja realização acarreta a sua derrocada.

Na tela de Ingres ("Édipo resolve o enigma da esfinge"), que se encontra no Museu do Louvre, Paris, vemos Édipo diante da Esfinge, às portas de Tebas, e mais ao fundo, um transeunte passando, apavorado com a cena, o que prenuncia o horror que virá pela frente....


Alcione Albertim é professora de literatura e línguas clássicas
COMPARTILHE
comente via facebook
COMENTE

leia também