Uma garotinha estava no parque com sua mãe, que lia um livro enquanto esperava a pequena se divertir. Certo momento, procurou nos balan...

Nunca tenha vergonha de chorar

literatura paraibana auto ajuda angustia tristeza
Uma garotinha estava no parque com sua mãe, que lia um livro enquanto esperava a pequena se divertir.

Certo momento, procurou nos balanços e não achou a filha. Preocupada, saiu olhando nos outros brinquedos, quando, finalmente, avistou-a sentada conversando com uma senhora.

Foi até lá e, com tom mais firme, repreendeu-a por ter saído de perto sem avisar. Pediu desculpas à senhora.

— Desculpa se ela a incomodou.

— Que nada. Sua filha é um anjo que os céus mandaram para me ajudar.

No caminho de casa, a mãe lhe perguntou o que tanto conversara com aquela senhora.

— Coisa sem importância — disse a garotinha. Ela tinha perdido a filha, e isso deve ter doído muito. Eu estava apenas ajudando-a a chorar.

Vale lembrar a frase:

“Nunca devemos nos envergonhar das nossas próprias lágrimas.”
Charles Dickens

Se hoje sentires vontade de chorar, mesmo com o astro rei iluminando e aquecendo o dia, chora... chora tudo que tiveres vontade. Derrama tua tristeza no rio das lágrimas, sem vergonha de viver tua dor.

Sempre terá alguém que não te entenderá, mas também encontrarás quem te ajudará a chorar.

E, como disse Viktor Frankl: “cada pessoa possui forma particular de reagir à dor [...] a duração é que é variável para cada um” .


DEIXE O SEU COMENTÁRIO
SUA PARTICIPAÇÃO É IMPORTANTE. COMENTE!

leia também