Sempre achei que os estudos científicos sobre o comportamento humano são profundas viagens. Lembro-me de que na década de 1980, já lia os ...

As viagens do circuito hormonal

ambiente de leitura carlos romero cronica conto poesia narrativa pauta cultural literatura paraibana saulo mendonca marques inteligencia emocional genetica sociopatia evolucao neurotransmissores equilibrio hormonal
Sempre achei que os estudos científicos sobre o comportamento humano são profundas viagens. Lembro-me de que na década de 1980, já lia os artigos do Eduardo Mascarenhas, (desencarnado aos 54 anos) e Xênia Bier (que se passou aos 80 anos de vida). Lia-os com uma curiosidade aguçada. Hoje, com muito mais interesse, coleciono as palestras do psicoterapeuta Roberto Crema, criador da UNIPAZ, Universidade Internacional da Paz no Brasil.

ambiente de leitura carlos romero cronica conto poesia narrativa pauta cultural literatura paraibana saulo mendonca marques inteligencia emocional genetica sociopatia evolucao neurotransmissores equilibrio hormonal
Com um cuidado maior ainda, guardo o livro do PhD Daniel Goleman, que é um tipo assim de bíblia do comportamento do homem: “Inteligência Emocional”. É um livro instigante, um best-seller que ganhou em pouco tempo um significante número de leitores que aderiram ao conhecimento das complexidades de seu conteúdo. 

Não sou psicólogo, apenas carrego uma leve frustração de não o ser. Por isto, cultuo e dedico-me — vez e outra — à leitura de suas diversidades, considerando um suprimento da falta desse lado oficial. 

Acho que trago do meu tempo de Seminário a mania de ler pessoas. E, ainda bem, de vez em quando chega o Sigmund Freud com a sua citação generosa, a consolar-me pela minha falta, a dizer: “Seja qual for o caminho que eu escolher, um poeta já passou por ele antes de mim.” É como se fosse um acalanto a consolar-me e a abrir-me os olhos para uma janela complemento, pela qual enxerga melhor quem tiver as lentes da poesia. Pasmem! O Freud também era muito humilde e condescendente! 

Porém, uma das mais interessantes em minhas leituras e descobertas da psicologia foi o conhecimento da existência das químicas que habitam o fantástico sistema hormonal do ser humano. Fascinantes! Andam soltas pelo corpo e, muitas vezes, são elas que determinam o estado de comportamento do ser racional. São impressionantes, palpitantes, não somente pela exatidão de suas ações e reações!

Feliz quem anda com a dopamina que, sendo um neurotransmissor dos neurônios ligados a essas células nervosas, gera a química responsável pela sensação de prazer e de motivação. Já a serotonina regula o sono, o humor e o apetite. E por aí vão — tocando-nos por dentro, com as outras inúmeras químicas, cada qual com a sua função e seus direcionamentos. 

Quem já ouviu alguém pronunciar esta frase: “é uma questão de pele”, alisando a superfície do braço esquerdo com a mão direita? Além disso, acredito que tudo seja também administrado pela alma. Quando você passa a albergar ambições e rancores, por exemplo, oportuniza qualquer química a tomar conta do seu próprio controle.

Albert Einstein dizia que “o mundo é um lugar perigoso de se viver, não por causa daqueles que fazem o mal, mas, sim, por causa daqueles que observam e deixam que o mal aconteça”. A alma é proeminente para o corpo, e é ela que suscita suas principais consequências, através das químicas, que podem ser — ao mesmo tempo — réstias de ancestralidades.

Dessas substâncias hormonais que habitam milhões de células humanas, formando um dos mais perfeitos organismos da matéria viva, surgem as chamadas doenças psíquicas, ou transtornos psíquicos, quando não existe um critério ou um controle cuidadoso para interceptá-las.

Não é à toa que a sociopatia é um dos assuntos mais debatido nos congressos, nos seminários de comportamento, nas universidades e em salas de conferências da atualidade sobre essa temática. Ela tem atingido o seu campo de ação através de pessoas, em cujo comportamento pouco se observa significante dosagem de químicas atuando no sangue. 

A mentira é seu pingente mais precioso. Com ela engana e ludibria repetidamente, a fim de obter vantagens pessoais ou por prazer. O sociopata é também um exímio sugador de energia. Um vampiro que atua dia e noite.

No meio de toda essa pandemia, da tipologia ultra diversificada da genética humana, mesmo assim, espera-se também pela evolução, essa que constrói os degraus ascendentes da escala espiritualista e que se avulta em progressivas encarnações de altíssimo valimento para a purificação do ser humano.
 

comente via facebook
COMENTE
  1. Magnigico texto poeta!!
    Lamentavel dizer que hoje o nosso mundo está cheio de pessoas sociopatas.
    A cada crônica, texto e Haikai você nos ensina e engradece os seus leitores com mais conhecimentos.
    Como não amar-te os teu escritos. Paz e Luz 🙏🏻💚🌹

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quis dizer Magnifico...Ah corretor ortográfico quantas vergonhas nos faz. Rsrs

      Excluir

leia também