Pensei minha biografia Numa quadra, achei demais Não há bastante poesia Então lembrei dos haikais Olhei meu acervo artístico Era pequ...

Poesia sem máscara

Stelo queiroga ambiente de leitura Carlos romero

Pensei minha biografia

Numa quadra, achei demais
Não há bastante poesia
Então lembrei dos haikais
Olhei meu acervo artístico
Era pequeno prum dístico
Talvez o meu universo
Caiba bem num monoverso
Sou floresta de bonsais...

De máscara em Veneza

Sentei-me à Piazza San Marco
Exausto e de alma largada
Mirava de Deus o arco
Tinha a máscara impregnada
Flagrei-te a tirar a tua
Sem esforço estavas nua
E a minha incorporada
(De um tempo em que máscaras eram somente fantasias)

Da dialética do amor

Se é pra falar de dor
Que seja da minha, então
Se é pra falar de mim
Digo, vale a pena não
Agora se é sobre o amor
Acordo do meu torpor
E não sei mais nada, é vão...


Stelo Queiroga é engenheiro e poeta
COMPARTILHE
comente via facebook
COMENTE

leia também