MORMAÇO A tarde desfaz seus laços nos vãos dos últimos raios de sol. Já eu, noturna, vago, por esse espaço, de...

Natureza

MORMAÇO
A tarde desfaz seus laços nos vãos dos últimos raios de sol. Já eu, noturna, vago, por esse espaço, de amarela cor e quente mormaço.
EQUÍVOCOS
A flor do deserto no meio da chuva, encharcada. Eu, deserto, na chuva, molhada. Ambas estamos, irremediavelmente, deslocadas...
MOVÊNCIA
Longe, o barulho do mar, canção repetida, nervosa, sempre a soar. O vai e vem das ondas e o vento frio no ar são como folhas de coqueiro na areia da praia: não param de balançar.
SONORA
Pelo vidro da janela, vejo a chuva que cai lá fora. O som da água é música para meus ouvidos, é canção de ninar que embala a saudade de um tempo bom que não tenho mais.
CONTRAMÃO
Lá longe, o barulho do mar. Aqui perto, o canto de pássaros. Aos poucos, o dia acorda e a noite se vai. Tudo parece tão normal! Só que não...
DAS PEDRAS
(A Pocinhos – Paraíba) As pedras inóspitas cercam a cidade e refletem a luz do sol que brilha no céu de anil. Às vezes, o vento nem sopra, assim como a chuva não cai na terra árida e estéril. Eu tenho orgulho de ser desse lugar, que fica engastado, como joia rara, num cantinho quente e seco desse meu Brasil.

NOTA
Poemas incluídos no capítulo NATUREZA, do livro "Entre Parênteses - Poemas" (Ed. Da Autora), de Marineuma de Oliveira, com participação, em áudio, do grupo Poética Evocare.
Clique na imagem ao lado para acessar episódios completos do podcast homônimo, já publicados em plataformas de streaming (Link)

COMENTÁRIOS
  1. Anônimo3/6/22 22:27

    Que maravilha, professora! Amei os poemas! Parabéns! 👋👋👋👋👋👋👋👋👋👋👋

    ResponderExcluir
  2. Anônimo4/6/22 09:02

    Lindos poemas, gostoso de ouvir !

    ResponderExcluir
  3. Anônimo4/6/22 17:46

    Belíssimos poemas!

    ResponderExcluir
  4. Poemas com uma musicalidade incrível, vouvtrabalhar com meus alunos da EJA, que estão muito afastados da poesia

    ResponderExcluir

leia também