Mainha Digo o que de Mari Estela Que ela é uma fortaleza? Que é uma batalhadora, um ser de rara grandeza? Que mais diria eu dela Que ...

Mainha e outros poemas


Mainha

Digo o que de Mari Estela
Que ela é uma fortaleza?
Que é uma batalhadora, um ser de rara grandeza?
Que mais diria eu dela
Que pelo nome é estrela?
Que é alguém diferente
Que viveu pra educar gente
Que conduz com o coração
E criou um batalhão?
E me ensinou ser prudente?

Ou digo só que é Mainha
Que me acolheu em seu seio
Que me serviu de esteio
E até hoje me acarinha?
Diria que ela sozinha se desdobrou em amor
E o fez com tanto fervor que posso dizer até
Semeou em mim a fé
No nosso Deus criador
(Homenagem a Maria Estela Barata de Queiroga, que fará 93 a 28 de junho próximo)
Da dialética do amor

Se é pra falar de dor
Que seja da minha, então
Se é pra falar de mim
Digo, vale a pena não
Agora se é sobre o amor
Acordo do meu torpor
E não sei mais nada, é vão...
Passarinho

Me serve ser passarinho
Se me impedem voar?
Que valor terá o ninho
Sem a emoção de voltar?
Cantar um canto liberto
É preferível por certo
Que prisioneiro sonhar


Stelo Queiroga é engenheiro e poeta
COMPARTILHE
comente via facebook
COMENTE

leia também