Paraíba, 20 de fevereiro de 2022

Pauta Cultural (Ep. 29)

Paraíba, 20 de fevereiro de 2022

◒ Aconteceu
Igor Gregório
N
a área externa da Usina Cultural Energisa, na capital paraibana, aconteceu no último sábado, 19, o ‘XIV Sarau de Poesia Solta’. Participaram os poetas paraibanos Igor Gregório, Quelyno Souza e convidados. O evento integra a série permanente de promoções artístico-culturais realizadas pela Fundação Cultural Ormeo Junqueira Botelho, mantida pelo Grupo Energisa, nas cidades de Campo Grande, Leopoldina, Cataguases, João Pessoa e Nova Friburgo.

Usina Cultural Energisa ▪ Parahyba do Norte Div.
O
escritor, crítico literário e professor campinense Cristhiano Motta Aguiar, mestre em Teoria da Literatura e doutor em Letras, lançou na semana passada sua nova coletânea de contos: ‘Gótico Nordestino’, pela Companhia das Letras. Cristhiano radicou-se em São Paulo, onde reside atualmente. Neste título, contendo nove contos, predomina o gênero “terror gótico”, em que o autor revela a influência da cultura pop e dos escritores regionalistas da década de 1930 nos dramas psicológicos narrados em núcleos familiares. Na próxima terça- feira (dia 22) haverá sessão de autógrafos na Livraria da Travessa, em São Paulo (SP). Em breve, o autor anunciará o lançamento também na Paraíba.

Cristhiano Motta Aguiar Div.
Cândido Mendes 1928—2022
F
aleceu no último dia 17 de fevereiro o professor, sociólogo, cientista político e ensaísta Cândido Mendes de Almeida, membro da Academia Brasileira de Letras, com 93 anos de idade. Nascido no Rio de Janeiro, o escritor integrou os quadros da Universidade Cândido Mendes, respeitada instituição de ensino que abriga vários cursos, da qual era reitor até a data do falecimento. Autor de obras de forte convivção como "O País da Paciência", "Por Que me Envergonho do meu País", foi professor da PUC-RJ, da Fundação Getúlio Vargas e fundou um dos principais centros de pesquisas social e política do Brasil, o Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro — IUPERJ.
◔ Acontecerá
Analice Pereira
N
esta segunda-feira, 21, ocorrerá a penúltima edição do projeto “Conversas Paralelas: a literatura paraibana contemporânea”, com objetivo reforçar e divulgar a produção intelectual paraibana. Participarão as escritoras Ana Adelaide Peixoto e Sandra Raquew Azevedo, cronistas do jornal “A União”, que conversarão com o professor Otoniel Machado da Silva. O evento será transmitido on-line, a partir das 19h00, pelo canal do Curso de Letras do IFPB no YouTube.

A última “conversa”, que concluirá este projeto idealizado pela professora, doutoura em Letras, Analice Pereira, será realizada no dia 4 de março, também às 19h00, com a presença do dramaturgo Tarcísio Pereira que vai debater com o professor e dramaturgo Diógenes Maciel.
P
ara os fãs do gênero terror/suspense, uma boa notícia: A Companhia das Letras reeditará em 2022 toda a consagrada obra de Stephen King, iniciada com “Carrie, a estranha” (1974), seguida de mais 61 romances e 12 livros de contos. O projeto inclui uma edição da série “Torre Negra”, em 7 volumes, um dos trabalhos mais importantes do autor, e um livro inédito, com título ainda indefinido, que conta a saga de “um rapaz de 17 anos que herda as chaves de um universo paralelo onde o bem e o mal travam uma guerra”, conforme divulgado pela editora.

Stephen King Div.
Sonia Zagheto
O
“Clube dos Observadores de Corvos do Senhor Poe”, clube cultural criado e dirigido pelos escritores Sonia Zaghetto e Cláudio Chinaski, patrocinará a edição especial de dois livros de Virginia Woolf, com versão da premiada tradutora goiana, Maria Luiza Borges, autora de mais de 300 traduções, entre elas todas as aventuras do personagem Sherlock Holmes, de Arthur Conan Doyle. Os títulos são "Três Guinéus", publicado em edição independente pela própria Virginia e seu marido Leonard, e "Um Quarto Todo Seu". O trabalho será fruto de parceria com a editora Tagore.

Maria Luiza Borges ▪ Imagem: Carta Capital
⊙ Imperdível
U
m crime "chocou a comunidade musicista internacional, motivado pelo roubo de quatro valiosos violinos Stradivarius, do violinista e luthier alemão Bernard von Bredow," assassinado há cerca de 3 meses, junto com a filha menor de idade, no Paraguai. "Quadrilhas internacionais têm-se especializado na subtração ilegal dessas 'obras de arte musicais', na sua 'lavagem' e reintrodução no mercado", como narra o impactante texto “Crimes e Cordas” de autoria dos professores Felipe Avellar de Aquino e Marcílio Franca,
"Q
uantos são os que fazem resenhas críticas de livros de poesia, romance, e não são capazes de produzir uma obra ao menos medíocre? [...] A questão é: o que pode a crítica? Quem estabelece as normas de boa literatura? [...] Qual o valor de uma crítica feita a jato, no calor de uma redação jornalística?... [...] Só acredito em críticas que descobrem o porquê por trás das palavras" - O professor e poeta Leo Barbosa dá sua opinião acerca da crítica no texto “O que pode a crítica?
“A
genialidade, embora muitas vezes excêntrica, por fugir aos padrões usuais, independe de formação acadêmica, brota espontaneamente da natureza humana e representa a grande capacidade do homem" - O jornalista Arael Costa traz à memória o poeta paraibano Caixa D'Água, falecido há 15 anos, no texto "Um cavaleiro literário".
Caix@ Postal
"A última apresentação da Orquestra Tabajara entre nós foi em 1985 nas comemorações dos 250 anos do Poder Legislativo. Baile no Cabo Branco. Severino recebeu o título de Cidadão Paraibano, “o que muito o orgulhou”, disse. O governador Wilson Braga custeou pelo estado a presença da Orquestra na PB dentro da programação que eu executei com o presidente da AL, Evaldo Gonçalves. "
Ramalho Leite ▪ 20/02/22
Comentário sobre o texto “Tabajara: a Orquestra da Paraíba para o Brasil”, de Flávio Ramalho de Brito.


"Como ponto de partida, está correto, mas a projeção econômica virá se houver um ponto de chegada, portanto é difícil erradicar a pobreza, sendo possível erradicar a miséria."
Ana Elvira Steinbach ▪ 19/02/22
Comentário sobre o texto “O Século I de Keynes”, de Alberto Lacet.


"Essa é a nossa Ângela. Escrevendo bonito e entregando edificantes textos a todos nós. Eu agradeço. "
Francisco Rosendo Rodrigues ▪ 18/02/22
Comentário sobre o texto “Anayde Beiriz, por ela mesma” de Ângela Bezerra de Castro.


DEIXE O SEU COMENTÁRIO
  1. Parabéns Germano Romero!! mais uma "Prima obra" editorial!!
    Paulo Roberto Rocha

    ResponderExcluir

leia também