P ois é, como eu disse, desta vez, visitei Londres sem cadeira de rodas. Pude pegar o metrô sem problema, graças ao braço do meu amigo Davi....

Megalomania londrina

Pois é, como eu disse, desta vez, visitei Londres sem cadeira de rodas. Pude pegar o metrô sem problema, graças ao braço do meu amigo Davi. Os metros londrinos estão sempre apinhados de gente na maior correria. A capital é povoadíssima e além do mais com seus milhares de turistas, já viu...
E que dizer daqueles típicos e graciosos ônibus com mais de um andar? Londres não é uma cidade alegre, panorâmica, aberta, como Paris. Cidade alegre, você quer ver uma? Amsterdam, cujas bicicletas dão um certo charme à cidade. E os seus canais?...
Mas deixemos Amsterdam com suas bicicletas, suas drogas permitidas, seu sexo livre, seus canais, seus geniais pintores Rembrandt e Van Gogh, e continuemos falando de Londres, com o seu frio gelado, sua chuva intermitente, turistas vindos de toda parte do mundo, suas grandezas em tudo. Ah, se o rio Tâmisa passasse bem pelo centro da cidade, assim como o Sena!
Você já viu uma estátua mais alta do que a do almirante Nelson, lá na Trafalgar Square? Ainda mais com aqueles imensos leões de bronze? E sabe qual o concerto que a gente agendou para assistir, aqui em Londres? Concerto, não, uma Missa. A Missa Solemnis de Beethoven. Uma partitura gigantesca. Mas sabe o que houve? Equivocamo-nos com o horário da grandiosa obra beethoveneana, que começou às três horas da tarde, e pensávamos que era à noite. Parece que missa cedo é para a missa do galo, que inspirou um grande conto do nosso Machado de Assis.
Ouvir a missa de Beethoven, no grande centro cultural Barbican, e logo em Londres, que adora grandezas, seria, não resta dúvida, um emocionante momento em nossas vidas. Londres é incomparável em matéria de museus e teatros. Você quer ver um museu de deixar a gente de boca aberta e olhos arregalados? Este que a gente foi visitar, com mais calma, nesta recente viagem à capital inglesa. Estamos nos referindo ao Museu Britânico com suas numerosas salas e cujo passeio vale por um ligeiro curso de antropologia, com suas múmias egípcias, seus sarcófagos, embalsamentos. que nos levam a profundas introspecções.
Esse museu, monologuei, é o retrato de Londres. E a megalomaníaca metrópole está toda eufórica com os preparativos das Olimpíadas, isto sem falar nas festividades em comemoração aos sessenta anos de reinado da Rainha.
COMPARTILHE
comente via facebook
COMENTE

leia também