Mesmo que eu fale contigo todos os dias, os silêncios pesam porque tu não estás No alucinar das horas e de meu próprio discurso, vag...

Hora devorada


Mesmo que eu fale contigo todos os dias,
os silêncios pesam porque tu não estás

No alucinar das horas e de meu próprio discurso,
vagueio falando sozinho

Busco a tua voz,
nada soa, a solidão me encerra,
devora, apavora,
une e confunde

Quero o ressurgimento
do gota a gota do amor diário
inconcluso sempre, ininterrupto

Ah...meu diálogo é um o sole mio piegas
de devaneios obscuros, enquanto obscenos
os assovios de um pássaro mecânico


Ana Elvira Steinbach Torres é doutora em ciências humanas e professora
COMPARTILHE
comente via facebook
COMENTE

leia também