O egoísmo que excede limites é um distúrbio de atitudes que altera a personalidade. É quando se manifesta de forma que o indivíduo não med...

A exacerbação do egoísmo

ambiente de leitura carlos romero cronica conto poesia narrativa pauta cultural literatura paraibana rui leitao egoismo egocentrismo falta carater humildade
O egoísmo que excede limites é um distúrbio de atitudes que altera a personalidade. É quando se manifesta de forma que o indivíduo não mede esforços para conseguir o que quer, mesmo em detrimento de outros. As pessoas que assim se comportam são frias, sem sentimento, sedutoras. Nunca apresentam remorsos ou se sentem culpadas pelo mal que possam ter causado a alguém. Mas conseguem disfarçar seu “lado negro”.

No discurso que faria na sua posse como presidente da república, Tancredo Neves afirmou: ''A história nos tem mostrado que, invariavelmente, o exacerbado egoísmo das classes dirigentes as tem conduzido ao suicídio total.

No mundo atual os audaciosos se acham melhores do que os outros em qualquer situação em que estejam. Entendem que tudo acontece na dependência dos seus conhecimentos e interesses. Muitos dos detentores do poder confundem autonomia com absolutismo, ignorando as demandas sociais que contrariam seus objetivos pessoais.

Estamos vivendo uma onda de egoísmo que mata as relações sociais. É perceptível o quanto tem aumentado o número de pessoas que têm dificuldade de amar e que se colocam em flagrante desrespeito ao próximo. Gente que só consegue olhar para o próprio umbigo. O egocentrismo é característica forte na forma de viverem.

O egoísta, movido por alguma deficiência de caráter, é grosseiro, desatencioso, descortês. Em síntese, é um ignorante, embora se ache mais inteligente do que todo mundo. Desconhece as suas limitações intelectuais, apegando-se à ideia de que sabe tudo e que tudo conhece. Como é alguém extremamente individualista, age em função do orgulho e da soberba. A palavra humildade não está no seu dicionário.

A cultura do egoísmo tem se evidenciado na modernidade, desprezando o tão necessário sentimento de comunidade. Cada vez mais os indivíduos se voltam para si mesmos. Lamentavelmente está prevalecendo a compreensão do “cada um por si e Deus por todos”. Há uma preponderância do encantamento pelo privado, sem a preocupação com o bem estar coletivo. A sociedade capitalista estimula o sórdido egoísmo burguês. Esse pode ser considerado o mal do século, que tem dificultado a coexistência humana em todos os níveis. Um paradigma imediatista que marca a atualidade.

comente via facebook
COMENTE
  1. Este é um raio X da humanidade.
    Lamentável.
    A falta de caráter é uma resistência que luta dealealmente com o indivíduo.
    Na Arte da Guerra, Steven Pressfild fala bastante sobre essa 'resistência'.
    Obrigada meu estimado primo Rui. Suas palavras soam como um desabafo comunitário.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns ✊🏻✊🏻✊🏻Você abordou um tema muito sério e que infelizmente vem se tornando cada vez mais inerente á muitos dos quais convivemos/ conhecermos!!!
    Paulo Roberto Rocha

    ResponderExcluir

leia também