Quando o poeta Sérgio de Castro Pinto aniversaria, a poesia comemora. Para homenagear o maior representante da Poesia da Paraíba na atualid...

Bendito quem semeia poesia


Quando o poeta Sérgio de Castro Pinto aniversaria, a poesia comemora. Para homenagear o maior representante da Poesia da Paraíba na atualidade, recorri a outro poeta igualmente notável.

O poeta, igual condor sobrevoando a paisagem da alma, aspergindo a mente das pessoas com poesia, pede para que espalhemos livros.

        “Oh! Bendito o que semeia
         Livros à mão cheia
         E manda o povo pensar!
         O livro, caindo n'alma
         É germe – que faz a palma,
         É chuva – que faz o mar!”

Eu te admiro Castro Alves porque semeou livros e plantou poesia no coração das pessoas. Bendito és tu, Poeta da Alma, ser tão pequeno, mas grande pelas maravilhas conduzidas em favor da liberdade e pelas canções de amor cheias de tantas emoções.

O poeta condoreiro tinha razão ao exaltar que somente com livros distribuídos em abundância é possível transformar a pedra bruta num diamante humano. Bendito aquele que semeia livros, muitos livros, livros à mão cheia. Abençoado quem faz da poesia nosso alimento.

Acredito que entre todas as Artes, a Poesia salvará o mundo. Na poesia estão os fundamentos para se entender aspectos da vida, a experiência humana da contemplação. A leitura de poesia cria na alma uma sensação maravilhosa. Quando olhamos ao céu com estrelas ou para o espetáculo do horizonte nas silhuetas das serras ao alcance da vista, é leitura de poesia.

Quando leio um poema não busco apenas o que o poeta expressa, mas procuro descobrir minhas próprias emoções.

Nos tempos atuais importa que a poesia chegue às mãos das pessoas, que os versos caindo na alma como enxurrada de água conduzida pela suavidade da brisa, transformem o mais duro coração.

A poesia é um caminho para o entendimento das relações humanas, porque ajuda a conhecer o mistério da existência de tudo como Criação Divina. Ainda mais se tratando de poesia mística, expondo a dimensão espiritual, seja num insight ou trabalhada no mais profundo sentimento do coração.

Louvado seja aquele que semeia poesia, porque ajuda na construção de um mundo cada vez melhor. Cada livro na mão de uma criança é sementinha plantada que brotará conforme a fertilidade do solo.

A importância do livro é contribuir para o florescimento do novo homem, para suaviza a aridez da alma e levar as pessoas a celebrar a harmonia de um novo relacionamento.

Poeta que melhor representa a Paraíba na época presente, Sérgio de Castro Pinto é guardião do diálogo planetário para se chegar ao fraterno abraço global, na plenitude dos tempos.


José Nunes é cronista e membro do IHGP
E-mail
COMPARTILHE
comente via facebook
COMENTE

leia também