Matinal A luz da manhã é um rio de saudade que invade meu silêncio.

As fontes do rio Ipojuca

ecologia porto do capim rio ipojuca poesia juca pontes ambiente de leitura carlos romero natureza

Matinal

A luz
da manhã

é um rio
de saudade

que invade
meu silêncio.



ecologia porto do capim rio ipojuca poesia juca pontes ambiente de leitura carlos romero natureza
Travessia

No princípio
das águas

o silêncio
amanhecia:

acima
das nuvens

repousa
calmaria.



Sinfonia das águas

Na pele
da água

se instala
a fala

do impetuoso
vento.



ecologia porto do capim rio ipojuca poesia juca pontes ambiente de leitura carlos romero natureza
Em tons de ciano

No impulso
do azul

pulsa
a lua

de alma
nua.



Outono

Sol e lua
rio e mar

desenham
a paisagem

de forma
singular.



Horizonte

Silêncios do outono
jorram oceanos
de saudade.



Manhã do rio

Um rio
não resiste

ao delírio
dos lírios.



Cena de futebol

Pela voz
do olhar

o veloz
zagueiro

dribla
o goleiro.



ecologia porto do capim rio ipojuca poesia juca pontes ambiente de leitura carlos romero natureza
Sanhauá

O Porto do Capim
é uma saudade de rio
dentro de mim.



Sobre o amor

Amor é tudo:
ame o mundo.



Outro tom de ciano

Ao mar
deixo-me
levar

pelo beijo
efêmero
das maresias:

ao mar
deixo-me
desviar

pelas suaves
pétalas
dos seus dias.



Exercício matinal

Tão ecológicos
somos nós

por debaixo
dos lençóis.



Exercício matinal 2

O universo
sem sexo

é = a verso
sem nexo.



ecologia porto do capim rio ipojuca poesia juca pontes ambiente de leitura carlos romero natureza
Narciso

Em
frente
ao espelho

perdura
certo ar
de felicidade

da mais pura
vaidade.



Rosário do rio e das pontes

As fontes
invisíveis

do rio
Ipojuca

enchem
de água

os olhos
de Juca.



Juca Pontes é jornalista, poeta e escritor
COMPARTILHE
comente via facebook
COMENTE

leia também