O repórter escolhe as fontes e faz o seu relato de acordo com suas afinidades e convicções ideológicas. Muitas vezes, a mesma pauta, o ...

Você acredita na imparcialidade e isenção da mídia?

noticias jornalismo fake news
O repórter escolhe as fontes e faz o seu relato de acordo com suas afinidades e convicções ideológicas. Muitas vezes, a mesma pauta, o mesmo fato, tem versões diferentes e até conflitantes.

No jornalismo do meu tempo, o que vinha da reportagem ia parar nas mãos do redator, o chamado “copydesk”, que refundia a matéria, também segundo suas afinidades e convicções ideológicas.

A estação seguinte é a mesa do editor, que, como o repórter e o “copydesk”, também tem suas afinidades e convicções ideológicas, e sabe quais são os interesses imediatos da empresa.

A palavra final é do proprietário do veículo, que em geral só autoriza a publicação daquilo que, mais cedo ou mais tarde, pode aumentar o faturamento do seu negócio.

Nos regimes totalitários, a imparcialidade, a isenção e a verdade estão sempre com quem detém o poder.

Logo, como “seguro morreu de velho”, é melhor fazer o “Teste São Tomé” com toda e qualquer informação que chega ao seu conhecimento, na internet ou fora dela.

Tudo o que está diante de seus olhos é “fake”. Até prova em contrário. Prova que você mesmo tem que produzir com os seus botões.

E la nave và.

COMENTÁRIOS
  1. Exatamente, caro Petrônio.
    Lembro bem, que um dos luminares do movimento que, na década dos anos '60, do Século passado, um dos luminares da corrente de pensamento que deu ares de ciência ao processo de comunicação de massa - David K. Berlo, se a memória não me falha e conduz a um engano de autoria, chamava a nossa atenção para o que ele denominava de "o olho do cinegrafista".
    Mas, este pensador e muitos outros que através do CIESPAL, consolidaram o entendimento do processo de comunicação de massa (Mass Communication) ou coletiva, como preferem alguns, fazia, também um contraponto para essa assertiva, que era o de considerar o poder censório da audiência.
    Este, sim, verdadeiramente poderoso.

    ResponderExcluir

leia também