sem fórmula não piso a embreagem, piso a paisagem e a ponho em primeira, segunda, terceira e quarta de segunda a sexta. (às ...

Paisagens vistas de um retrovisor

literateura paraibana poesia sergio castro pinto astier joao batista brito paisagem improviso

sem fórmula
não piso a embreagem, piso a paisagem e a ponho em primeira, segunda, terceira e quarta de segunda a sexta. (às vezes dou-lhe ré, mas ela sempre me escapa). aos sábados e domingos deixo-me ficar em ponto morto diante dessas fotos já sem cor: paisagens vistas de um retrovisor?
improviso
ao poeta Astier Basílio
omoplatas já foram asas nas madrugadas de outrora hoje são asas amputadas cravadas nas minhas costas omoplatas já foram asas de um rebelde querubim que me deixou ao deus-dará nas planuras longe de mim já foram asas as omoplatas deste que hoje vos fala convertido em espantalho da espécie mais chinfrim desses com medo de pássaros antípodas do querubim com os corpos recheados de feno palha e capim omoplatas já foram asas nas madrugadas de outrora hoje são muletas mancas fincadas nas minhas costas
bodas de prata
das cinzas quentes do teu borralho renasço pênix de cabo a rabo
Intertextualidade
ao amigo João Batista de Brito, o Joca
é quando o tigre de blake devora o rouxinol de keats e põe-se a comer alpiste e a rugir trinado meio fera meio pássaro

comente

leia também