Estado de graça Em estado de graça, não faço nada. Num Infinito de estrelas e amores - Perfeitos Só contemplação... ...

De lajedos, sombras e suspiros

 
 
 
Estado de graça
Em estado de graça, não faço nada. Num Infinito de estrelas e amores - Perfeitos Só contemplação... Em estado de graça, sou tudo e sou nada. Tenho flores, perfumes, tenho luz Sem peso, tenho asas no coração. E vou aonde quero, num passeio sem fim. Em estado de graça não me falta nada O amor e o céu vêm juntos a mim.
O que somos
De lajedos, sombras e suspiros somos feitos Lajedo que se fratura Sombras que se revelam e se ocultam Entre ânsias do bem que desejamos Atraídos pelo mal que não queremos Seres de sede eterna, lançados ao desafio do efêmero.
Penélope
Neste tear de espera teço e desteço pontos Faço e desfaço laços Não sei quantos. Neste meu mar de espera nado e me abandono Mudo com a preamar Verde ou azul, sei lá. Neste teu mundo instável vou e não vou, a espaços Volto e saio de teus braços Estou só... No meio desse embaraço de atados e desatados Tristeza, ausência, cansaço Nós cruzados... Juntando pontos e laços, de angústias, astúcias, medo Teço meu pano enredo Faço-me e me desfaço.
Penso em ti
Misturando paisagens, sensações, perfumes Penso em ti como um compositor relendo a partitura Buscando notas claras, perfeitos movimentos Penso em ti, surpreendendo sutilezas escondidas Em teus gestos, teus modos e olhares Teus retalhos de texto descuidados De onde escapa o teu ser Mais doce e desarmado. Penso intensamente em ti... Imaginando o menino que não conheci Sedutor escondido no adulto E rendo-me à ternura Que anestesia a dor de tua ausência E engana o tempo que também me engana Passando quase feliz.
Reverso
Amanheço trançando sentimentos Numa tapeçaria impossível De tecer. Olhos cansados, ofício interminável Labor-oferta Entrega que não rende. Vazam-me das mãos pontos, experimentos Peça que me escapa Sem um ponto final Em espera fiel e angustiante Ilhada de beleza Por um sol cegante.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO
  1. Ângela Bezerra de Castro27/2/22 14:08

    Essa é poeta. Tem coerência e verdade. Sabe o que é a palavra.

    ResponderExcluir

leia também