UM PASSO Um passo, Um pé diante do outro, Começo de um caminhar, Mergulho em uma aventura, Uma dança , No compasso. Um passo...

Um passo

literatura paraibana poesia volia loureiro solar sorriso paixao olhar

UM PASSO
Um passo, Um pé diante do outro, Começo de um caminhar, Mergulho em uma aventura, Uma dança , No compasso. Um passo... Basta esse gesto, Pra se mudar uma história, Pra seguir uma estrada, Pra ser derrota ou vitória. Um passo... Pode ser largo ou miúdo, Pode ser alegre ou sisudo, Barulhento ou mudo. Tudo depende da intenção, Um passo para seguir em frente, Para voltar atrás, Para ser liberdade ou prisão. Caminhar em passos firmes, Ora largos, ora miúdos, Em pas de deux ou tropeção, Porém nunca parar, A vida nos pede ação.
VOLÁTIL
Amor volátil Paixão de momento. Fascinante, Atraente, Porém efêmero Instantâneo, Fugaz Falena em volta da luz, Bruma do alvorecer A evanescer ao primeiro Raio de Sol. Pura miragem, Aurora boreal. Foste assim? Um simples sonho para mim? Passaste por mim como chuva de verão... Por que teimas ainda em me atentar o coração? Se és volátil como éter, Por que ainda me alucinas?
VELVET
Céu de veludo, Cai sobre mim Em manto bordado de estrelas. Silêncio e luz... O piscar dos luzeiros distantes, Contam-me da poesia, Das dores, dos amores. Segredos revelados... E eu de amor pejada, Procuro o verso próprio, A rima adequada, O ritmo perfeito. Deixo que a poesia escorra, Que se derrame o verso Em suave elegia. A marcar as folhas brancas. Sangue sobre o veludo azul, Tinta a derramar-se no papel, Marcando feito tatuagem A alma plena de emoção.
OLHOS DE MAR
Mergulho no azul desse mar, Serão essas águas tranquilas Ou mares de naufragar? Fantasio o mistério Que esconde Esse líquido olhar. Olhos de rara turmalina Olhos de céu de verão , Olhos felinos , Olhos de mergulhar. Olhos que perscrutam, Olhos que revelam, Olhos que descobrem, Olhos de fotografar.


SOLAR
Abro um sorriso solar E busco a tua alma iluminar... Desejo-te todo bem do mundo, Amar alguém é experiência mística, É construção do eu profundo. Abro um sorriso solar E vejo a vida iluminada Entre luz e sombra, Entre claro e escuro... Ilumino a minha visão de paz, Sem deixar nada obscuro. Abro um sorriso solar E te ofereço flores de luz, Trago abraços de amizade Canto poemas de amor, Plenos de pura verdade, Pois é a paz que me conduz. Abro um sorriso solar Planto flores no caminho, Assim não caminharei sozinho. Espalho o perfume da alegria, Tenho o pão nosso, de cada dia, Com a paz a me iluminar.
VOU-ME EMBORA DE TI
Vou-me embora de ti. Assim o faço, contrariada, Mas é chegada a madrugada, E não mais encontro alento, De permanecer, no momento, Nessa solidão desesperada. Vou-me embora de ti, Parto, deixando tudo. As lembranças, os risos, As horas de enlevo, nossos segredos, Tudo me causa desassossego, Sou uma alma em degredo. Vou-me embora de ti, E levo somente, o coração machucado, A alma querendo ficar, O espírito amolentado, Mas a certeza me diz, Que tudo está terminado. Vou-me embora de ti, E deixo apenas, esse verso, Como suave despedida, Não é nenhum protesto, Mas, apenas uma forma de expressão, De te dizer que vou-me embora, Mas é teu meu coração.

COMENTÁRIOS
  1. Obrigada Germano! É sempre um prazer estar nesse espaço tão especial e eclético!

    ResponderExcluir
  2. Lindas poesias, Volinha, quanta inspiração! Parabéns!

    ResponderExcluir

leia também