Recordações, para Lucas e Daniel Ô menino, vá já guardar suas roupas! Será possível?! E esses brinquedos espalhados pelo chão... d...

Se as crianças fossem mais...

ambiente de leitura carlos romero cronica ana adelaide peixoto maternidade lembranças filhos adolescencia
Recordações, para Lucas e Daniel

Ô menino, vá já guardar suas roupas! Será possível?!
E esses brinquedos espalhados pelo chão... de quem são? Hoje é dia de mandar a roupa pra lavar — custa botar no cesto? Cuecas aqui, toalhas acolá... Custa tirar o prato da mesa? Custa tirar o sapato sujo antes de entrar em casa? Tô cansada! Sou só uma! Ninguém me vê! Ninguém me escuta! Ô menino, vá escovar os dentes — só come porcaria!
ambiente de leitura carlos romero cronica ana adelaide peixoto maternidade lembranças filhos adolescencia
Nada de bala! Nada de chocolate! Nada de nada!... Dá pra chegar mais cedo? Dá prá ligar avisando que não vem jantar? Ô mamãe, olha aqui o brother me enchendo o saco! Tá arengando; tá batendo; tá estirando língua; tá fazendo careta! Ô mamãe mande ele parar! Quero ver o desenho. Quero ver a novela. Quero comer pizza. Quero um carinho... Ô mamãe, quero o disco do Chico Science. Quero uma calça jeans nova. Quero um tênis da moda. Abaixa esse som! Ô mamãe quero lanchar. Cadê o meu biscoito preferido? Cadê minhas panquecas? Minha farda do colégio? Minha revistinha? Mãaaaaaaeeeeeeee!!!!!
ambiente de leitura carlos romero cronica ana adelaide peixoto maternidade lembranças filhos adolescencia
Ô Meu Deus! O meu dia não dá! 24 horas é pouco! Ninguém me ajuda. Ninguém diz para eu descansar! Uma mãe é pra cem filhos, mas cem filhos não é pra uma mãe! Será que ouvi isso em algum lugar? Ô menino, fale baixo! Não grite com a sua mãe! Não vê que tô exausta? Ô meu filho, já pra seu quarto! Quero trabalhar. Deixe eu ler o meu jornal! Abaixe esse som, menino! Forró na hora do almoço? Não aguento! Ô mãe chata! Não! Pelo Amor de Deus, você vai com essa roupa? De chinelo? Ô mãe, larga do meu pé! Não fale assim comigo não, viu? Sou sua mãe! Peça a seu pai! Tudo eu! Tudo eu! Paiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!!! Diga a esse menino que NÃO! Você nunca diz nada! Fica aí calado... e eu aqui de bruxa... cuidando dos olhos, orelhas e ouvidos! Assim não dá! Ai, que saudade da minha mãe!
ambiente de leitura carlos romero cronica ana adelaide peixoto maternidade lembranças filhos adolescencia
Hora do almoço! Lavar as mãos, cortar as unhas, arrumar o cabelo! Os deveres! Já prá cama! Já prá aula! Já! Mas que tanta frase conhecida! Ouvi tanto isso... Que agora repito tudo igualzinho. Mas que papagaio — aprendeu tudo direitinho! Ah! Os filhos! Filhos? “Melhor não tê-los, mas se não tê-los como sabê-lo?” Também já ouvi isso antes! Saudades da minha avó... que conheço só de retrato... O tempo passa. A vida passa. Os filhos crescem. Os filhos saem de casa. Se a gente pelo menos reclamasse menos... Se ao menos os pais fossem mais presentes... Se as crianças fossem mais... Se....

comente
  1. Cada leitura, uma surpresa. Você sempre é demais!!

    ResponderExcluir
  2. Realmente ..seus textos/leituras são demais!!!
    Mas..voltando à família!! É exatamente isso...esse atavismo psico/familiar se transmite!!!
    Paulo Roberto Rocha

    ResponderExcluir
  3. Parabéns ANA , texto muito verdadeiro.

    ResponderExcluir

leia também