“Vox Populi, Vox Dei” é uma expressão latina que pretende dizer que “a voz do povo é a voz de Deus”. Tenho muita dificuldade em aceitar is...

A voz do povo não é a voz de Deus

“Vox Populi, Vox Dei” é uma expressão latina que pretende dizer que “a voz do povo é a voz de Deus”. Tenho muita dificuldade em aceitar isso como verdade. Não acredito que as manifestações do sentimento popular tenham inspiração divina. Nem sempre são coincidentes a voz do povo com a voz de Deus. Vemos frequentemente a vontade popular se expressando em contrário aos ensinamentos bíblicos. São decisões nascidas de influências nefastas, pautadas em conceitos que não se afirmam “do bem”. Logo não podem ser consideradas como orientadas por Deus.

A voz do povo se expressa por motivações as mais diversas: medo, ignorância, ambição, radicalismo de conceitos e ideologias, manipulação de lideranças que não respeitam a moral e a ética. Portanto, vulnerável a erros e equívocos. Deus é infalível. Então não há harmonia entre os desejos populares e os propósitos divinos. Falar que clamores majoritários da população revelam a vontade de Deus é um sacrilégio. A voz do povo é imperfeita.

Tem sido muito comum o aparecimento de agentes políticos se arvorando na condição de ungidos de Deus, procurando conquistar a adesão do povo aos seus projetos. Tentam passar a impressão de que o lado provocador de barulho está ajustado ao que Deus deseja para a sociedade. O ecoar da voz das multidões pode refletir um engano irreparável. O exemplo maior é o apoio a ditadores cruéis como Hitler, Mussolini e tantos outros colocados nos mais diferentes espectros ideológicos mundo afora, no passado e na atualidade.

Como entender manifestação divina em discursos que pregam a desordem, a apologia da tortura, o preconceito, a pregação da discórdia, alimentando o ódio? A instrumentalização da fé com objetivos políticos constitui-se então uma heresia. Deus aprova o uso de espaços religiosos para a realização de eventos político-partidários? Claro que não, porque Ele não tem lado nos embates eleitorais. Principalmente onde prevalece o componente do fanatismo. A voz do povo aplaudindo os tiranos jamais pode ser percebida como a voz de Deus.

E quando o povo não pode falar? Quer dizer que Deus apoia o silêncio diante das injustiças sociais e da opressão dos poderosos? Basta levantar essa indagação para concluirmos o quanto é falsa essa afirmação de que a voz do povo é a voz de Deus. Independente das crenças religiosas, o criador do universo é dotado de bondade, nos protegendo, nos ensinando e nos concedendo o livre arbítrio. Sendo assim, não está envolvido em questiúnculas políticas. Quem usa o Seu nome em vão, comete uma grave ofensa aos princípios de religiosidade. Precisamos estar atentos para não embarcarmos na ideia de que a maioria, seja ela verdadeira ou aparente, representa a vontade Deus.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO
SUA PARTICIPAÇÃO É IMPORTANTE. COMENTE!

leia também