Como dói essa saudade… Bem sabia que era assim. Mas a falta de costume ou da plena consciência faz a gente indiferente ao raia...

De gratidão nutrido

saudade amizade pai filho amor paterno
 
 
 
Como dói essa saudade… Bem sabia que era assim. Mas a falta de costume ou da plena consciência faz a gente indiferente ao raiar do novo dia. Como dói essa saudade… A vontade de apertar, de beijar e de cheirar. Como dói essa saudade que eu tinha esquecido de sentir, de vez em quando, para que não olvidasse que o tempo é fugidio. Escapole a toda hora, segue o rumo inexorável. A gente é que não sente que é curto e transitório o abraço apertado. Como dói essa saudade… que demora a passar e quiçá jamais se vá. Até que um belo dia acordamos com o sabor da lembrança que ficou. Entendendo que essa ausência, sentida por agora, tão doída e machucada, é sinônimo de um amor que havia, e não se foi e pra sempre haverá. Nessa casa, nesse mar, há registros indeléveis, como música em partitura. Melodia inesquecível que ecoa lá no fundo. E na frase que ora escuto deste doce violoncelo, sinto toda a poesia que marcou a sua vida, que nos deu tão bom exemplo, que ensinou a prosseguir na esperança do amor. Do amor que demonstrou, na cozinha ou na sala, aqui perto ou bem mais longe, mas que ora sinto em tudo com o manto inseparável que ilumina a sua aura. E meus olhos à procura do que ele observava seguem o rastro da lembrança, buscando a sintonia com a poesia do viver. Coisa que ele ensinou com sábia maestria. Como dói essa saudade... Lá fora vejo o mar que também nos quer contar do carinho que sentiu quando aqui o contemplou. E é grande esse amor cujo encanto se espalhava numa flor ou numa pedra, na rosa ou no espinho porque só havia luz no carinho de seu olhar. Como dói essa saudade… Não desejo que se apague, como não se apagará nada que em nós deixou. Hoje tento aprender outro meio de ouvir, de falar e de sentir sua alma cintilante, que em breve encontrarei. Até lá, exclamarei, com aperto dolorido como dói essa saudade... Mas de gratidão nutrido.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO
SUA PARTICIPAÇÃO É IMPORTANTE. COMENTE!
  1. Tocante o enlace que o amigo faz entre dois sentimentos aparentemente incompatíveis: saudade e gratidão. Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. O seu intenso amor pelo pai - com quem viveu tantas viagens e "viagens" - é de uma intensa beleza. Carlos Romero vive entre nós - em grande parte - por força dele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maestro WJ Solha, Ângela Bezerra de Castro sempre diz: "Carlos está mais vivo que nunca"! 🙏

      Excluir

leia também