A vida que me chama A vida que me chama de todas as maneiras A vida que me chama Insiste nas palmas no portão tal com...

Vida que me chama

 
 
 
A vida que me chama
A vida que me chama de todas as maneiras A vida que me chama Insiste nas palmas no portão tal como quando eu era criança e Aninha me chamava para brincar A vida que me chama fui à missa com o vestido de domingo, de estilo balão era de laise cor de rosa, todo lindo Que preguiça de ouvir o padre! olho comprido na saída no que estava do lado de fora A vida que me chama fico sempre dividida desde quando a estrada acenou com seu canto livre dei start de partida Percebi que podia mais que a linha do horizonte que poderia trocar de lugar com ela sendo eu o horizonte imaginária e sem fim Ouvia Dylan Supertramp e Ten years after com atraso li Kerouac com encanto colorido Fui Janis Joplin em cetins de Summertime A vida que me chama me atordoa, embriaga Vivo ébria de vida Sou mais rápida que ela e ela ganha de mim Faço rally perita em curvas fechadas e arisca na contramão O verbo é ir A vida que me chama A vida que me chama A vida que me chama Eu adoradora do sol Fiel amante à mim que me conheço tanto Fiel amante à ele que enche meu mundo de música e me liberta de mim É pouso em traços longos nas nuvens gasosa espuma e é assim que me fascina me ilumina e me deslumbra Este ele que pouco sabe de mim A vida que me chama quer mar, lua cheia meu espírito de sol o corpo lasso de fadiga boa alma querente de aventura entrega que perdure Que haja um laço pois os nós eu desfaço E aí Não tem ele que me acompanhe Voo solo Nem sei se é bom ou ruim um outro gosto que nunca senti Beijos sem lábios Toques sem mãos e me confundo … com meu jeito barroco de amar e me comovo ao ouvir “Solamente una vez amei na vida” Eu, que amei sem conta homens da minha vida E posso mais o querer sofisticado perfume e bagos de uvas estourando na boca nudez de penumbra amor macio arrepios em pele viva A vida que me chama é clara e pede treino bruto para ser sublime botas de sete léguas gps para não me perder nos desvios do caminho E me perco Borboleta que sou gaze que voa asas finas bailarina do vento girando flores a cor de todas as cores de quem se metamorfoseia Rezo pelo destino abençoado consciente de ser um ser sagrado quando perco o centro Rezo mais dou-me o tempo do mergulho na transparência do lago Isis em metamorfose mulher divina busco pelos pedaços perdidos de Osíris meu amado Faraó Sumido no tempo do Egito antigo ainda busco por um amor inteiro meu animal é um pássaro meu símbolo é a vida A vida que me chama Não me diz de uma verdade única E me fala de paisagens na terra e estelares, cidades submersas instiga-me ao que desconheço Viagens experimentais quero a maestria do quero mais Desdobramentos Múltiplas de mim me assombram no espelho - Até onde vou em pensamento? - Que onda viva meu coração alcança? - Quais serão as medidas do que não tem medida ? - Qual é a idade de quem não tem idade? - Qual é o fio que me prende à razão? - Por quem pulsa meu apaixonado coração ? - Por que amar é tão amplo que desafia a nós, minúsculas criaturas a esticarmos o braço e irmos mais, e mais sem ter onde chegar. - Qual é a rota do deslumbramento? - Onde estou se meu norte aponta para o sentimento? Quero assim Este agora em fio de palavras que saem puras sem mistificação do oco útero dentro de mim. Pari um verso E mais outro E outro Sou poeta Pari um poema inteiro O Dândi engolidor de ar caçou um mosquito e sendo um cão virou gato.

COMENTE, VIA FACEBOOK
COMENTE, VIA GOOGLE

leia também