Não acredito em pessoas que não sonham, mesmo que sejam sonhos altos, fantasiosos, utópicos. É assim que damos asas à nossa imaginação, mot...

A utopia


Não acredito em pessoas que não sonham, mesmo que sejam sonhos altos, fantasiosos, utópicos. É assim que damos asas à nossa imaginação, motivada por fortes esperanças, de que algo muito bom esteja para acontecer. Ainda que classifiquem de utopia alguns planos idealizados nunca devemos desistir deles. Até porque o que parece impossível hoje pode perfeitamente ser realizável no todo ou em parte no amanhã.

Ainda que o termo signifique “lugar que não existe”, não pode ser desprezar uma ideia que pareça, no primeiro momento, algo irrealizável
A expressão utopia nasceu do livro de Thomas More com esse título, escrito em 1516. Nele o escritor inglês idealiza um lugar onde existiria uma sociedade perfeita. Todas as ideologias políticas desejam a construção desse mundo melhor, fundamentada em críticas à sociedade. São projetos de transformações sociais, muitas vezes fora da realidade, distantes da praticidade. Entretanto, acendem paixões e incentivam o enfrentamento de desafios.

Na utopia damos força ao otimismo exagerado na ilusão de que tudo acontecerá conforme nossos desejos. Não vejo nenhum mal em alimentar uma utopia. Pelo contrário, enxergo nesse devaneio uma vontade grande de lutar por conquistas difíceis, ânimo para enfrentar obstáculos por acreditar nos seus sonhos.

O mundo muda porque sempre teve algum idealista que fez de sua utopia um projeto de vida, uma bandeira de luta. Quando os ideais são forjados na obstinação, na determinação, na convicção, eles ganham adesões e tornam-se fortes. De repente o que se apresentava como algo utópico passa a ter um sentido efetivo de realização. Então, o meu convite de reflexão hoje é na direção do estímulo aos sonhos mesmo que, por alguns, sejam considerados utópicos. Quem não sonha assume uma postura de passividade, inércia, uma vez que não acredita sequer em si mesmo.

utopia thomas more
O clássico da literatura a que me refiro no início deste texto, nos oferece uma mensagem que continua atual, a de que existem alternativas para tudo o que já esteja instituído. A busca incessante de descoberta de novos caminhos. É no ideal utópico que surgem os avanços científicos e o progresso da sociedade. Ainda que o termo signifique “lugar que não existe”, não pode ser desprezar uma ideia que pareça, no primeiro momento, algo irrealizável. Nunca devemos desistir do interesse em alcançar a sociedade ideal.

Termino essa reflexão com duas frases de Oscar Niemeyer. “A humanidade precisa de sonhos para suportar a miséria; nem que seja por um instante”. “A gente tem que sonhar, senão as coisas não acontecem”.


Rui Leitão é jornalista e escritor
COMPARTILHE
comente via facebook
COMENTE

leia também