Manhã Flamam tâmaras: amoras afloram. Pólen Silenciosas rosas germinam crepúsculos.

Breves e leves poemas

ambiente de leitura carlos romero juca pontes poesia natureza rios sinfonia das aguas outono polen leves poemas

Manhã

Flamam tâmaras:
amoras
afloram.


Pólen

Silenciosas rosas
germinam
crepúsculos.


Noite

O azul flutua
no silêncio
da lua.


Sépia

O céu é feito
de silêncio
e tempestade.


Horizonte

Silêncios do outono
jorram oceanos
de saudade.


Matinal 6

As manhãs são riachos
guardados na lembrança
que carrego desde criança.


Alvorecer

Florescem azuis
em largos
de luz.


Sinfonia das águas 2

No assovio do rio
escreve o vento
as fúrias do tempo.


Outono 3

Margens plurais
repousam iguais
no refúgio do sono.


Infinito

Rios de mim
inspiram azuis
sem fim.


Inverno 4

Cai a flor cor de uva
onde a correnteza
esconde a chuva.


Sinfonia das águas 3

No balanço do vento
o rio sonda
agudas ondas.


Outono 4

Férteis percursos
ofertam recursos
da fauna e da flora.


Mar de sépia 3

Ostras e corais
levam embora
cristais da aurora.


Plural

Somos folhas ao vento
colhendo horizontes
no tempo.


Horizonte 10

Nos braços da tarde
sangram esses leves
e breves versos.


Juca Pontes é jornalista, poeta e escritor
COMPARTILHE
comente via facebook
COMENTE
  1. Lembram, pela singela profundidade, o que há de melhor na poesia dos orientais.

    ResponderExcluir

leia também