Tenho uma amiga que adora fotografar a natureza. Adora a natureza porque a natureza está no sangue e na alma dela. Também estudou as esta...

Fotografia que é um poema

ambiente de leitura carlos romero cronica conto poesia narrativa pauta cultural literatura paraibana jose nunes belezas litoral rio grande norte barra cunhau natureza belezas naturais praias brasil nordeste
Tenho uma amiga que adora fotografar a natureza. Adora a natureza porque a natureza está no sangue e na alma dela. Também estudou as estações para melhor compreender as mudanças que ocorrem a cada período do ano. Mais que amar a terra, as plantas, os animais e o mar, ela busca entender a essência da espiritualidade que edifica a paz interior. Quer entender a beleza da poesia que emana da Natureza com seus componentes.

Fotografando, registra certos momentos inesquecíveis. Assim, os momentos únicos que a alma e os olhos observam não ficam apenas guardados na memória. Entendemos que certas fotos levam outras pessoas a degustar do prazeroso banquete proporcionado a partir daquilo que foi fotografado.

A praia Barra de Cunhaú, localizada em nosso vizinho estado do norte, tem uma esplêndida paisagem de restinga semidesértica. Lá as manhãs são belas, as tardes tornam-se encantadoras porque têm o pôr do sol suave e o vento maneiro. Na primavera passada, num momento de rara beleza e único, a natureza deixou-se fotografar. No lugar, o vento lento abriu ondulações na areia, que recebendo os raios luminosos do entardecer, estes refletiam como espelho, o que era encantador. O ambiente registrado na fotografia parece um poema, um poema que se forma na imaginação.

A foto nos toca porque mostra com exatidão certos detalhes da paisagem que passariam despercebidos se não fossem por meio da fotografia. O pôr do sol, com a noite já se misturando com o mar, registrado na fotografia, quando observado minuciosamente, alegra e emociona. Também se destaca com precisão o fulgor daquele instante e o silêncio que repousa na praia e enche nossa alma. Emocionamo-nos vendo as saliências na areia iluminada, como igualmente encantam os filetes de água que graciosamente se esparramaram formando um grande círculo.

Ao largo, no alcance das mãos e dos olhos, as pequenas ondas sendo conduzidas pela vontade do vento molhavam os pés e refrescavam a alma. Todo o espetáculo da natureza é um calmante para o espírito.

A imagem daquele pedaço de praia vista na fotografia constrói emoções, criando uma situação de consciência mística e conexões espirituais com o Universo das coisas invisíveis. Olhando-a, a alma da gente se regozija e nos desconecta das preocupações.

Naquele momento único, com a máquina fotográfica, minha amiga captou a emoção do instante mágico. Uma emoção que é recriada em nós a partir da poesia captada pelo olhar. Ela nos trouxe momentos poéticos singulares, raros e por isso são inesquecíveis.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO
SUA PARTICIPAÇÃO É IMPORTANTE. COMENTE!

leia também