Consciência, consciência, cá me tenhas de regresso. Faça chuva ou faça sol, numa estrada espinhosa ou em nuvens de alegria,...

Paz de consciência

paz consciencia dever cumprido
 
 
 
Consciência, consciência, cá me tenhas de regresso. Faça chuva ou faça sol, numa estrada espinhosa ou em nuvens de alegria, não me deixes escapar. Resistir à tentação foi de praxe ensinado. Mas a mente desatenta não estando vigilante pode ser a armadilha que nos renda o remorso. Consciência, consciência, como é bom manter-te limpa… Só assim a noite é calma, deixa a alma levitar. Do contrário, aviemos pra que o tempo fugidio não impeça de apagar tudo que a maculou. Uma amiga me contava sobre o pai, já moribundo. Com um câncer impiedoso que sem dó o devorava, não havia o que fizesse minorar a sua dor. De carinho lhe cobria, com voz doce indagava: “Oh meu pai, que agonia, o que dói tanto em você? “Minha filha, não há nada em meu corpo que não esteja dolorido. Mas de tudo que ora sinto, uma coisa eu lhe digo: Só não dói a consciência”. Ao ouvir do amado pai desabafo como esse, sua fé se renovava e o amor se intumescia: “Ah, que bom poder ouvir tão louvável confissão que me deixa esperançosa quando o adeus a mim restar”. Consciência, consciência… só de ti carregaremos as virtudes que enlevam ou as dores que maltratam. Nesse mundo há quem olvide, e por pura vaidade, ambição ou egoísmo não vacila em magoar, ofender ou destratar. Supondo que não há um porvir severo e duro, quando em si se deparar ao passar p'ro outro lado, será triste concluir que não pode reparar... O meu pai sempre dizia com a beleza do viver na mais sábia experiência: Não há nada neste mundo que se possa comparar ao estado de alma pura. De poder olhar em si, no espelho da memória, sem ficar entristecido. Não existe travesseiro mais macio e deleitável do que uma consciência repousando na lembrança do bem que lhe marcou. Não esqueça de que aqui pode ao mundo enganar. Entretanto, no além, com a verdade nua e crua, só a dor mal recordada, sem remédio que dê jeito, vai poder te acompanhar.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO
  1. Salvas amigo Germano..."Poetizou" a ode à CONSCIÊNCIA!!
    Parabéns com louvor!!!
    Paulo Roberto Rocha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei da "ode", amigo Rocha. "Odemos"! rsrsrs

      Excluir

leia também