Mutilação Onde estão meus olhos que teus olhos descobriram? No teu olhar que não alcanço mais E minha boca em que decifraste o sabe...

Marcas


Mutilação

Onde estão meus olhos
que teus olhos descobriram?
No teu olhar
que não alcanço mais

E minha boca em que decifraste
o saber e o sabor indistintos?
Nos teus lábios
que não sinto mais.

Pedaços de mim
se foram contigo

Para sempre.


Verso / Reverso

Marcas
de um outro
amor
em teu corpo.

Garras
de uma velha
dor
em meu peito.


Desencanto

Destino meu
de apagar o sol
de abarcar o vento
de afogar o mar

De procurar
e perder
e só para isso
encontrar.


Vida

Na memória
a lembrança dos mortos
No coração
a indiferença dos vivos.

Distância
Silêncio
Dupla face da solidão.


Ângela Bezerra de Castro é professora e crítica literária
COMPARTILHE
comente via facebook
COMENTE
  1. Muito bom:

    Marcas
    de um outro
    amor
    em teu corpo.

    Garras
    de uma velha
    dor
    em meu peito.

    ResponderExcluir
  2. Lispector revisitada... impactante! Obrigado!

    ResponderExcluir
  3. Revelação de belos sentimentos depurados na alma da poesia verdadeira.

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito da revelação da professora Ângela, do sentir escrito com poesia cristalina, concisa, inspirada no amor. Um abraço, Ângela!

    ResponderExcluir

leia também