Foi assistindo a uma palestra do Raul Marinuzzi que acreditei, mais uma vez, em certas mudanças futuras que darão estratégias de polimento ...

O poder da visão holística

Ambiente de leitura carlos romero poeta saulo mendonca marques poesia literatura cronica paraibana visao holistica trabalhista ego eu cosmico

Foi assistindo a uma palestra do Raul Marinuzzi que acreditei, mais uma vez, em certas mudanças futuras que darão estratégias de polimento ao comportamento humano, quando ligado a grandes negócios.

A meta do seu tema foi o espírito. Não o do negócio, o chamado “espírito da coisa”, mas o espírito do homem de negócio, o que me fez antever as fabulosas mudanças do modernismo aplicadas às atividades do exercício trabalhista, dentro de uma visão quântica, holística.

Ambiente de leitura carlos romero poeta saulo mendonca marques poesia literatura cronica paraibana visao holistica trabalhista ego eu cosmico
Segundo o próprio Raul Marinuzzi, “em breve tempo o que mais vai valer é o espírito.” Ele que, além de administrador, é consultor de recursos humanos, maestro, ex-diretor de orquestra sinfônica e autor de mais de uma dezena de livros sobre o assunto, instalou uma miniorquestra sinfônica no palco do Teatro Paulo Pontes, para ilustrar a sua palestra. No final, uma nota geral sintetizou o seu objetivo, quando, em tom maior, trocou a palavra gerência por regência. E haja harmonia em tudo!!!

Com isso, conceituou a verdadeira qualidade humana, relacionando-a ao trabalho, ratificada, depois, pela professora Leila Navarro, da USP, especializada em filosofia da homeopatia holística, que afirmou que: “O corpo humano não só se divide em cabeça, tronco e membros. Na verdade, não são apenas estas três partes, mas um organismo ligado em profundas e complexas relações que, embora pouco compreendidas, são permanentes em nossa vida”.

Daqui a mais um tempo, com essa nova visão evolutiva, estarão extintas, senão minimizadas, acredito eu, as imagens do autoritarista truculento, do arrogante, do formal, dos que sublimam a hierarquia e suas manifestações tóxicas, do caciquismo, cuja respiração ofegante, altera o processo de interação e o equilíbrio da sobriedade.

A consequência disso não mais deixaria escurecer a dimensão do homem em relação ao trabalho. Não sei quando. Sabe-se que a estratégia, a excelência, a inovação e a competência devem se fundir com os hábitos culturais e, inevitavelmente, com as funções biológicas e sociais do homem no exercício de sua existencialidade.

Quantas vezes o artista, por exemplo, é discriminado, vilipendiado e injustiçado dentro de seu ambiente de trabalho? Por ser diferente das outras pessoas (e isto não significa querer ser diferente), ele desenvolve o seu papel, dando a sua profícua parcela de participação. O artista é, certamente, uma peça importantíssima dentro de uma empresa. Os maestros da administração, esses é que às vezes não sabem manusear as suas batutas. E nem sequer tocam de ouvido, e desentoam os seus instrumentos neurais.

Ambiente de leitura carlos romero poeta saulo mendonca marques poesia literatura cronica paraibana visao holistica trabalhista ego eu cosmico

Enquanto lembrava tudo isso, fazendo-me revigorar a fé na mudança de hábito empresarial, numa indústria ou mesmo dentro de uma repartição pública, lia num jornal a notícia de um livro de Richard Carlson, um psicólogo americano, à época com 36 anos, enfocando a convivência melhor do homem no cotidiano, capaz de proporcionar maior informalidade e simplificação da vida.

A incidência de tantos estudiosos no assunto, a afirmarem que o comportamento formal é uma mediocridade, dá-nos a plena certeza de que estão mesmo tentando mostrar soluções positivas e modernas dentro desse campo. O que é metódico (e ser metódico não é o mesmo que ter bons métodos) não leva o homem ao laço logosófico de seus atos, ou à completude prazerosa de suas realizações profissionais. Ser-se dentro do que urgentemente está sendo colocado é retomar o que está há muito tempo perdido dentro do ser humano: o seu próprio ego cósmico. A ambição pelo metal, que avassala os sonhos, a paz, e o sono, pode ser substituída por uma lepidez, pela harmonia e pelo contentamento do espírito. Tudo dentro da articulação do trabalho, incluindo o gesto amoroso, conduzindo juntas a seriedade e a serenidade sobre o trilho de compatibilidade.

Ambiente de leitura carlos romero poeta saulo mendonca marques poesia literatura cronica paraibana visao holistica trabalhista ego eu cosmico
Lembremos que essa luta pela interiorização do homem é milenar. Do escritor alemão Herman Hesse, sabemos: “Não há por que fazer a este cômico mundo a honra de levá-lo a sério.” Entendo que uma coisa é ser bizarro, outra é ter bizarrice. O que é muito sério e formal é tenso, é encarcerador e é estéril para a serenidade e a contemplação que, somadas, dão eminências ao homem. Essas duas atitudes alcançáveis, emanadas do natural e do espontâneo, não se casam com a rigidez impulsiva (ou compulsiva) nem com a severidade imposta e contaminada pelo vírus da “prepotência”. Ninguém nunca encontrará na prática da descontração uma justificativa significante, senão pelo espírito. O que interessa mesmo é reconstruir o ser humano mais pacífico e sóbrio dentro de si e do seu universo ao redor. Eis o caminho certo daqui, dali e de muito mais além.

Graças aos sábios, continuamos a ouvir lições como esta: “Correr não adianta. É preciso partir a tempo”, (do fabulista francês La Fontaine). Esse “partir a tempo” revela a planura das condutas universais, coisa que não chega a ser, uma norma de trabalho, mas a frugalidade interior necessária ao exercício do trabalho em comum. Portanto, isso representa o mourejar tenro e produtivo, ao mesmo tempo.

Afinal, mais vale ouvir o substrato dessas lições do que ler a postura alavancada que se entrona em posições muitas vezes insanas, braço esquerdo (e volúvel) caído sobre o espaldar, posição privada, dedo sempre em riste e cabeça oca, sem saberem que um dia serão todos esquecidos pelo tempo, sem memória e qualidade nenhuma.


Saulo Mendonça é escritor, poeta e haikaista
COMPARTILHE
comente via facebook
COMENTE

leia também