Sinfonia das águas 1 Na pele da água se instala a fala do impetuoso vento 2 No assovio do rio escreve o vento a fúria...

Sinfonia das águas

literatura paraibana juca pontes poesia mar mares aguas rios
Sinfonia das águas
1 Na pele da água se instala a fala do impetuoso vento 2 No assovio do rio escreve o vento a fúria do tempo 3 No balanço do vento o rio sonda agudas ondas 4 No raso das ondas o rio soberano escava oceanos Mar de sépia
1 O céu é feito de silêncio e t e m p e s t a d e s 2 Bardo ao mare encolhem os olhos rasos d’água 3 Ostras e corais levam embora cristais da aurora 4 Círculos minúsculos despem em silêncio as vestes do crepúsculo Indomáveis nuvens perfuram o vento com os silêncios do crepúsculo
1 Lágrimas do sol cercam meu pensamento nuvem escura rege vontades do vento 2 O oceano mergulha com seus desvãos nas indivisíveis linhas de minhas mãos 3 O vento parece não ter fim reacende horizontes dentro de mim 4 Ao redor do vento tudo silencia: no veludo das cinzas reina calmaria Tons de ciano
1 No impulso do azul pulsa a lua de alma nua 2 Respinga a tarde ao invés da brisa implume das marés 3 Ouço luminosidade no silêncio das fontes desertos que atravesso nomeiam horizontes 4 Qual rio vem navegar na canção do mar?
Poemas do livro Ciclo Vegetal
editora Forma, 2013
5 Ao mar deixo-me levar pelo beijo efêmero das maresias ao mar deixo-me levar pelas leves pétalas dos dias


comente

leia também