O TEMPO I Quando o tempo chegar, não te espantes eis que a hora do tempo não é nossa a hora do tempo lhe pertence ...

O tempo ainda é amigo

poesia paraibana tempo
O TEMPO I
Quando o tempo chegar, não te espantes eis que a hora do tempo não é nossa a hora do tempo lhe pertence quando o tempo chegar, chegou a hora. Quando o tempo chegar, não te enganes não uses da astúcia ou de malícia eis que o tempo consegue ser tirano com aqueles que tentam lhe iludir e fugir do controle de suas vistas com aqueles que pensam que o enganam. Quando o tempo chegar, te encontre limpo. Como as águas cristalinas de um riacho como os cisnes branco n`algum lago como a Virgem Maria com Seu manto Quando o tempo chegar te encontre puro como a mente de um santo ou de um anjo como o cristal límpido e brilhante como os vidros forjados em Murano Quando o tempo chegar te encontre inteiro como um coração vivo e pulsante como uma ave voando no espaço como um lindo presente de quem ama. Quando o tempo chegar te encontre sábio como sábios eram os homens de ante ontem quando o tempo chegar te encontre apoio como arrimo dos que precisam tanto Como esteio tão forte que no mundo seja jaula pros perigosos monstros pois já és importante para mim serás mais importante pra outros tantos.
O TEMPO II
Nosso doutor e remédio que traz conforto e calma para sede, a água pura apascentando à alma Um bom mestre, bom amigo conselheiro e confidente aguarda o surgimento do broto de sua semente... É preciso suportar o enterro em cova árida alcançar a terra adentro procurar a seiva cara e então surgir sorrindo como uma erva rara ou mesmo simples capim flexível a ação do vento resistindo as tempestades e as intempéries e o tempo esse irmão, leal e probo que só cobra o que é devido só nos pede o possível que esteja ao nosso alcance não adianta correr eis que o tempo nos encontra... É eficaz contra a dor de cotovelo, ou do dente é só procurar ajuda de alguém com competência Odontólogo ou reumatólogo ou outra costela quente... É também santo remédio para os inúmeros complexos que surgem aos borbotões nos deixando aturdidos alucinados e perplexos Com o tempo aceitamos nosso corpo, e nosso jeito o que antes era estranho agora é quase perfeito alguns medos evaporam exigimos mais respeito! O tempo ainda é amigo de quem o espera com calma para o esclarecimento de muitas dúvidas da alma ele explica, nos ensina que o bem sempre aconselha que vivamos com alegria trazendo o céu para a terra sendo gente de mancheia Que o céu ou o inferno não está em um lugar geográfico ou circunscrito mas na ausência do amar nos diablos transformados quando estamos a separar nossos irmãos, cultivando a cizânia, o apartar... Que sejamos novas pontes novos hinos a acalentar corações com dor e medo sem um fito a almejar que sejamos o alimento onde a fome aportar e a água cristalina se a sede amedrontar que sejamos a verdade se a mentira se mostrar e levemos a bondade se a maldade se assentar que possamos ser a luz no escuro do lugar porta-vozes da justiça se a mudez se instalar!

COMENTÁRIOS

leia também